Radionovela: Capítulo II – O Nascimento de Mewtwo

O Nascimento de Mewtwo

Capítulo II

O Nascimento de Mewtwo

Giovanni: Pocket Monsters, a Radionovela: O Nascimento de Mewtwo.

Mew: Mew… Mew… Mew.

Giovanni: Há vinte anos… o Pokémon miragem nos deu um vislumbre da sua existência. As buscas continuaram, mas apesar de tudo, ninguém sabia onde ele estava… e o silêncio continuou.

Miyamoto: (na Cordilheira dos Andes, enquanto se ouve uma tempestade) Eu sou a Miyamoto-chan e nunca vou desistir! Afinal, a minha filhinha já está na escola primária. Isso custa dinheiro. Onde você está, Mew?! Apareça! (sopra o vento da nevasca e depois para)

Giovanni: (sons de escavação podem ser ouvidos) Dezoito anos depois daquilo… Eu, Giovanni, tinha sucedido a minha mãe como líder da Equipe Rocket. O nosso negócio subterrâneo abrange todos os Pokémon. Somos a Equipe Rocket de “qualquer” Pokémon. Cavar e roubar Pokémons fossilizados não é exceção. E o maior local de escavação e roubo da Equipe Rocket era nas regiões montanhosas da América do Sul. (a escavação para quando se ouve uma pedra lascar)

Escavador1: Uau… mas que diabos é aquilo?

Giovanni: (narrando) Era um fóssil, com menos de um centímetro de comprimento. (ouve-se um som reluzente no fundo)

Escavador2: É bastante brilhante para um fóssil.

Escavador3: Oh! Isto é…! (o brilho do fóssil reluz sobre os escavadores)

Dr. Fuji: (ouvem-se ondas do mar) O meu nome é Doutor Fuji. Dr. Fuji. Aquele fóssil foi levado secretamente para o meu laboratório secreto em New Island.

Computador: (dentro do laboratório em New Island) Resultado da análise: É o fóssil de uma sobrancelha de algum tipo de Pokémon. A espécie de Pokémon é desconhecida. Mas quando tentamos vocalizar o que podemos a partir do DNA… (voz eletrônica) Mew. Mew. Mew. Mew.

Dr. Fuji: Mew? O que é isso?

Computador: Há um registro na História.

Dr. Fuji: E que é…

Computador: É a voz de um Pokémon miragem que se diz originar nas selvas da América do Sul. (voz eletrônica) Mew… Mew.

Dr. Fuji: O Pokémon miragem, Mew?

Giovanni: (aparece no laboratório) Mew, hmm? Consegue recriar o Mew miragem a partir da análise desse fóssil?

Dr. Fuji: Sr. Giovanni. Se me perguntarem, “Consegue fazê-lo?” Eu responderei que já fui bem sucedido com outros Pokémon.

Dr. Fuji: (começa uma música com trocadilhos) Se fizer uma cópia de um Pokémon a partir dos genes, então Poké-Poké Mon-Mon (ou seja, ‘Pokémon ao quadrado’), e conseguiremos dois Pokémons.

Giovanni: Duas vezes o lucro.

 

Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia dos genes de um Squirtle…

Squirtle: Squir, squir, tle, tle.

Dr. Fuji: Temos dois Squirtles.

Giovanni: Fazendo dinheiro. (o trocadilho é o nome japonês de Squirtle, Zenigame, zeni – game: quer dizer, a tartaruga [game] do dinheiro [zeni] faz dinheiro.)

Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia com os genes de um Charmander…

Charmander: Char, Char, Char, mander…

Dr. Fuji: Temos dois Charmanders.

Giovanni: Outro lucro.

Dr. Fuji: Fizemos uma cópia de um Bulbasaur…

Bulbasaur: Bulba, bulba, bulba, bulba, Bulbasaur.

Dr. Fuji: Aumenta para dois…

Giovanni: Até uma melancia sem sementes pode criar uma ou duas flores. (nome japonês de Bulbasaur, Fushigidane = semente estranha)

Dr. Fuji: Copiamos, copiamos, e copiamos outra vez.

Giovanni: Um, dois, de dois vamos a quatro, de quatro a oito, oito vezes dois são dezesseis… Trinta e dois deles. Uma fortuna é feita antes que perceba.

Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia com os genes de um Pikachu…

Pikachu: Pi-pika, pikachu.

Dr. Fuji: Mais e mais, é matemática de ratos. (o Pikachu é um Pokémon rato. Os ratos reproduzem-se depressa, daí “matemática de ratos”)

Giovanni: É um cofre de tesouro brilhante. (pika pika = brilhar, reluzir)

Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia com os genes de um Meowth…

Meowth: Meowth, Meowth.

Dr. Fuji: E a lua irá brilhar.

Giovanni: Não preciso disso. (acaba a música com trocadilhos)

 

 

Dr. Fuji: (suspira)

Giovanni: O que há de errado, doutor?

Dr. Fuji: Me pergunto se isso funcionará em um Pokémon miragem.

Giovanni: O que quer dizer?

Dr. Fuji: Não é que não tenham havido fracassos.

Giovanni: Não podemos ter lucro se tivermos medo de falhar.

Dr. Fuji: Ao menos, uma cópia de um humano não foi bem sucedida ainda.

Giovanni: Não preciso de cópias de humanos. Aumentar o número de humanos não nos traz dinheiro. Os Pokémons é que fazem dinheiro. (dá uma risada) E mais, dizem que o Mew miragem é o Pokémon mais raro do mundo. Se for recriado neste laboratório, e estiver na nossa posse… mesmo se for uma cópia, faremos uma fortuna. Mesmo sendo uma falsificação, vamos fazer uma fortuna. (ri enquanto vai embora)

Dr. Fuji: (ouvem-se sons de laboratório) Não é apenas porque eu quero fazer cópias de Pokémons que estou continuando com essa pesquisa. (fala com a Amber) Amber… você pode me ouvir? Minha filha querida. Consegues ouvir a minha voz? (sons de bolhas são ouvidas)

Amber: (risos) Papai! Papai! Por que está triste?

Dr. Fuji: Amber, é porque sou o seu papai. Sua mamãe deixou-me, e eu já não aguento mais. Estou tão só. Bem, isso acontece muito, mas, se aquele acidente… (começa um flashback – sons de uma batida de carro e sirene de ambulância são ouvidos)

Dr. Fuji: Amber, está tudo bem? Amber! Amber! Volte!

Amber: Desculpa, papai, não posso voltar.

Dr. Fuji: Não, eu quero ter você de volta. Não quero ficar sozinho.

Amber: (risos) Não há nada a fazer. Provavelmente vou me transformar numa estrela.

Dr. Fuji: Se for como o Cometa Halley, poderá voltar (o Cometa Halley fica visível da Terra a cada 76 anos).

Amber: Nada disso…

Dr. Fuji: Oh… se não vai voltar… não me interessa se for uma cópia ou uma falsificação feita a partir dos seus genes… só não me deixe sozinho! (fim do flashback)

Amber: Esse é o problema.

Dr. Fuji: É, o papai está com problemas também. Quer dizer, as cópias de humanos só conseguem viver dentro tubos de teste, e só duram quatro anos.

Amber: Então não tente fazer o que é impossível.

Dr. Fuji: Está certa, é impossível. Não importa quantas vezes eu tente, o máximo são quatro anos. Mas percebi uma coisa… que os Pokémons possuem uma força vital incomum… agora eu sei que as cópias de Pokémon podem viver mais tempo se comparadas com as de humanos. Quero descobrir o segredo da vida dos Pokémons. E quero usar esse segredo para fazer com que viva por mais tempo.

Amber: Sério, não tente fazer o que é impossível. Está bem? Papai?

Dr. Fuji: Não, vou fazer a experiência tantas vezes quanto for preciso… Amber, finalmente consegui uma sobrancelha de um Pokémon miragem. O nome dele é Mew.

Amber: Mew?

Dr. Fuji: Mew é conhecido por ser o Pokémon mais raro do mundo. De acordo com a lenda, é dito ainda que ele tem uma força vital que lhe permite viver para sempre. Se eu copiar este Mew, e descobrir o segredo da vida dele… talvez então você também possa ter essa força vital. Amber, quero que consiga chegar a viver como adulta e que fique comigo até se tornar velha. Nascer e viver a vida é maravilhoso. É por isso que quero que volte para mim, Amber.

Amber: Estou vejo. Esse é o problema.

Dr. Fuji: (ouve-se uma gota de água) Um mês depois disso… Mewtwo nasceu, baseado nos genes retirados da sobrancelha do Mew.

Amber: (excitada) Oh, é tão fofinho! Então este é o Mewtwo… Posso ser a mamãe dele? Posso ser a irmã dele? Não me importaria viver se tivesse um filho assim. Olá, Mewtwo!

ELENCO:

Dr. Fuji: Dr. Fuji. AKIMOTO Yousuke
Amber: Amber. HIKAMI Kyouko
Mew: Mew. YAMADERA Kouichi
Miyamoto
: Miyamoto. TOUMA Yumi
Giovanni: …e Giovanni. SUZUOKI Hirotaka…trouxeram isto [a radionovela] para você.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someonePrint this page