Especiais: A Origem de Mewtwo

A História sem Cortes da Origem de Mewtwo
The Uncut Story of Mewtwo’s Origin

“A Origem de Mewtwo” é um vídeo de cerca de dez minutos que foi excluído do primeiro filme Pokémon. Ele conta a história de Mewtwo antes da explosão do laboratório da Equipe Rocket. Também é conhecido como “O Nascimento de Mewtwo/Mewtwo’s Birth”.

Quatro homens estão caminhando por uma floresta na América do Sul, observados pelo raro Pokémon Mew. Um deles, narrando, diz que está indo com seus colegas na direção de um monumento construído por uma antiga civilização. Essa construção, segundo ele, tem a finalidade de homenagear o Pokémon mais forte de todos, atualmente dado como extinto. Giovanni, o chefe da Equipe Rocket, está investindo nas pesquisas do cientista que é considerado um perito em clonagem, e em troca, pede um clone de Mew. Eles encontram algumas ruínas e o desenho de Mew em uma parede. Quando eles param para observar, a sombra de Mew os surpreende. Dentro de uma cabana que seus colegas ajudaram a montar, o cientista reza para que o objeto que encontrou seja um fóssil autêntico de Mew. Só assim ele poderá realizar uma clonagem, processo que só é possível utilizando um Pokémon muito poderoso. Confuso, o Mew observa os cientistas no exterior da cabana.




Um tempo razoável se passa e vários homens aparecem em um sombrio laboratório. Eles estão analisando o pêlo que supostamente possui o DNA de Mew. Em um cenário negro, um jovem Mewtwo acorda. Ele pensa em quem ele é, no que ele é, e aonde ele está. Na realidade o Mewtwo está dentro de um tubo cheio de um líquido avermelhado. Observando o pequeno clone, os cientistas se perguntam porque, mesmo com as atividades cerebrais normalizadas, não há sinal de consciência no Mewtwo, assim como ocorreu nos clones anteriores. Dentro do tubo, Mewtwo se pergunta o que são esses sons que ele está fazendo. Uma voz responde que Mewtwo está formando palavras. A dona dessa voz surge como energia, dizendo que é uma garota, um humano, e que nunca havia visto um Pokémon que falasse. Mewtwo, confuso, pergunta se é um Pokémon ou um humano.




A pequena garota de cabelo verde diz que isso não importa, pois, já que ele também está ali, Mewtwo pode ser considerado igual à garota, ou ao Bulbasaur, Charmander e Squirtle que aparecem de repente. Os cientistas percebem algumas atividades incomuns. Para uma cientista, Mewtwo está se comunicando com os outros clones, no caso Bulbasaur, Charmander e Squirtle, por telepatia. O cientista que narrava anteriormente olha para um tubo preenchido com uma estranha luz. Enquanto isso, Mewtwo fica sabendo que todos eles são clones, por isso possuem o número dois depois de seus nomes. A garota chama-se Amber2. Quando as lembranças do cientista são reveladas, sabe-se que Amber2 é uma clone vinda do DNA de sua filha. Fazia tempo que esse homem tentava recuperar sua filha, chegou até a perder sua mulher por causa disso. Até então, ele não conseguiu nada físico.



Á caminho do laboratório, o cientista recebe notícias de que Mewtwo está cada vez mais forte. Giovanni logo terá os Pokémons mais fortes, além da possibilidade de recriar uma vida. Ainda usando a telepatia para se comunicar com os outros clones, Mewtwo vai até a cidade onde Amber morava. Ao invés de um céu negro, Mewtwo passa a admirar um céu azul. Ele aprender sobre o Sol, o vento, o pôr-do-sol, a noite e a lua, àquela que permanece a noite inteira fazendo companhia aos solitários. De repente Charmander2 some, além de seus dados no computador do laboratório. Bulbasaur2 e Squirtle2 também desaparecem, tanto do “sonho” de Mewtwo, quanto dos tubos do laboratório. Por último, Amber também começa a desaparecer, assim como sua cidade e como a estranha luz protegida pelo cientista. Brilhando e tornando-se quase um fantasma, Amber explica que Mewtwo agora está chorando.






Amber conta que seu pai dizia que quando um Pokémon estava triste e chorava, suas lágrimas traziam vida. Ela agradece por Mewtwo ter se preocupado com ela, e antes de desaparecer por completo, recomenda que Mewtwo não chore mais, já que ele está vivo e a vida é maravilhosa. Chamando por Amber, Mewtwo começa a criar várias ondas cerebrais. O principal cientista diz que isso é ruim, já que Mewtwo não pode se lembrar do que aconteceu até esse momento. É preciso aplicar cem unidades de sedativo para que as atividades cerebrais de Mewtwo voltassem ao normal. Dentro daquele tubo e ao passar do tempo, Mewtwo começa a crescer, e apenas uma coisa lhe vem em sua memória apagada: “a vida é maravilhosa”. Mewtwo se pergunta por quê.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someonePrint this page