Entrevista com Felipe Zilse (dublador do Trip)

Olá pessoal!

O MarKoosk8, que fez a cobertura do evento SANA para a Pokémon Mythology… infelizmente não conseguiu aquela entrevista com o Thiago Keplmair que havia prometido (agente perdoa, já temos uma entrevista com ele e ele não sabia xD), mas teve a honra de fazer a alguns dias uma entrevista com o dublador Felipe Zilse, pessoa por trás da voz do Trip em Pokémon Branco e Preto (e também já fez a voz do Volkner). Ele contou um pouco de sua carreira, falou sobre dublagem e seus trabalhos. O sortudo é casado com a dubladora Samira Fernandes (Zoey em Pokémon, Elesis em Grand Chase). Confiram!

Clique em Notícia Completa para ler.

Olá pessoal!

O MarKoosk8, que fez a cobertura do evento SANA para a Pokémon Mythology… infelizmente não conseguiu aquela entrevista com o Thiago Keplmair que havia prometido (agente perdoa, já temos uma entrevista com ele e ele não sabia xD), mas teve a honra de fazer a alguns dias uma entrevista com o dublador Felipe Zilse, pessoa por trás da voz do Trip em Pokémon Branco e Preto (e também já fez a voz do Volkner). Ele contou um pouco de sua carreira, falou sobre dublagem e seus trabalhos. O sortudo é casado com a dubladora Samira Fernandes (Zoey em Pokémon, Elesis em Grand Chase). Confiram!

1. Como você foi parar na dublagem?
Felipe: Bom, eu sou ator desde os 12 anos de idade. Uma atriz e  diretora  antiga, que veio a falecer faz pouco tempo chamada Márcia Maria, que me dirigiu em muitos espetáculos, tinha feito uma cirurgia cardíaca e não podia fazer muita coisa e resolveu voltar a dublar. Como não podia dirigir por conta da cirurgia, fui dirigindo o carro pra ela, pois tinha acabado de completar 18 anos. Aí conheci os estúdios, como já era ator comecei a estagiar, fazer umas pontinhas e a coisa foi.


A atriz Márcia Maria (imagem do Google)
2. Dos personagens que você dublou qual você gostou mais e por quê?
Felipe: Cada personagem novo é o que eu mais gosto, porque é um novo desafio, um novo aprendizado… Mas ultimamente to gostando de dublar o B2 do “Bananas de Pijamas”.
                  
3. Como é para você ser um casal de dubladores? Você e a Samira ambos  dubladores. Isso é legal demais.
Felipe: (risos) É normal. Procuramos não falar muito sobre trabalho em casa, mas é inevitável algumas vezes.
4. Como está sendo dublar o Trip, o novo rival do Ash?
Felipe: Bem legal! Pra ser sincero não gosto de fazer a voz dele muito criança, mas a voz normal eu gosto… Ele é bem dissimulado, provoca bastante o Ash… (risos)

                                
5. Falando ainda de Pokémon: Qual seu pokémon favorito?
Felipe: Eu só vi Pokémon quando ainda era 150… (risos) faz uns 15 anos… Mas eu gostava de um que lutava lá, com luvinha de boxe (o Hitmochan). Pronto, eu gostava dos que saíam lutando na mão.
6. O Kimimaro é um dos personagens mais fortes do Naruto, nem o Gaara venceu ele. Qual foi o maior desafio ao dublá-lo?
Felipe: Manter o tipo. Ele falava muito devagar, e a tradução não estava ajudando em nada…

                    
7. Como foi para você participar da dublagem de Glee, uma série tão famosa no Brasil?
                            
Felipe: Dublamos só duas temporadas em São Paulo… Foi legal, curti bastante, e quando estava muito legal, sem mais nem menos a série foi pro Rio, porque ia passar na Globo. 
Eu: Sempre a Globo.
Felipe: O que eu não entendo, porque dublagens minhas já passaram na Globo, o “milionário” lá cansou de passar…. Enfim…
                         
8. Falando de dublagem: O que você acha da dublagem de Miami e as de fundo de quintal?
Felipe: Isso é um problema sério… Hoje em dia ninguém preza mais qualidade. Por mais que a categoria lute, as coisas não mudam, só pioram. Está na mão dos fãs, e das pessoas que gostam do produto dublado (os VERDADEIROS clientes) exigir qualidade, boicotando esse tipo de trabalho…
9. O que você acha do Marketing feito quando um famoso dubla alguma coisa?
Felipe: Vende né… Enfim, se for bem dublado tudo bem…
10. Já dá para viver só da dublagem?
Felipe: Sim, vivo somente de dublagem há pelo menos seis anos.
11. Bem na verdade, não entendo muito essa parte de como dubladores são pagos, uma vez ouvi falar que um dublador iniciante pode até ganhar mais do que um dublador profissional. Isso não seria injusto?
Felipe: Sim você ganha pelo tanto que trabalha, como qualquer trabalhador autônomo. Um dublador iniciante não dubla a quantidade que um dublador com mais tempo de carreira. Com raras exceções a quantidade do seu trabalho está atrelada com a qualidade, e você só adquiri qualidade com o tempo, sacou? Então você ouviu besteira… Lógico que tem outros fatores, como está o mercado, enfim.
12. Bem, alguns estúdio infelizmente estão fechando as portas, o que você achou da perca da Álamo?
Felipe: Sem dúvida a Álamo foi uma grande perda. Um reflexo da competição desleal de alguns estúdios sem qualidade.
13. Não sei se você sabe, os dubladores no Japão são estrelas, famosos demais, agora isso está chegando aos poucos no Brasil. O que você acha de ser famoso justamente pela voz?
Felipe: Sei lá (risos). Não penso em ser famoso. Dublar é meu trabalho. Tento fazer o melhor que eu posso, e tenho melhorar sempre…
14. O que você diria para as pessoas que sonham em serem dubladores?
Felipe: Aprenda primeiro a ser ator/atriz, aprenda sobre o trabalho, e tente… Persista se não der, não deu… Esse trabalho não é fácil.

Fonte: http://dublabrasilmelhor.blogspot.com.br/2012/08/entrevista-com-felipe-zilse.html

E assim termina a entrevista. Esperamos que tenham gostado ^^

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someonePrint this page

Comments

comments

Você também pode gostar de...